Depressão em jovens



  

Principais causas que ocasionam a depressão em jovens.

A depressão é um transtorno de humor, uma doença crônica que recorre de forma hormonal, genética, física ou causas externas. A doença tem crescido nos últimos anos com muito fervor e ela não atinge apenas os adultos, mas pode atingir ao público infanto-juvenil também. É por este motivo que os pais devem observar mais seus filhos a fim de perceber possíveis sintomas depressivos.

Este público está muito propício e um dos principais motivos é a vivência na escola. Estudar diversas disciplinas e desenvolver trabalhos em grupo são algumas das experiências que levam estudantes do ensino fundamental e médio a sofrer com a doença. O que para alguns parece uma tarefa simples do dia a dia, para outros as provas, trabalhos individuas e em grupo, principalmente, são consideradas como um bicho de sete cabeças. 

Até a década de 70, a depressão neste público era considerada inexistente ou rara, mas no ano de 1975, o Instituto Nacional de Saúde Mental dos EUA (NIMH), reconheceu e oficializou o caso nos pequeninos.

Os sintomas depressivos no público infanto-juvenil são insônia, fadiga, irritação, perda ou ganho de peso, diminuição da capacidade de concentração, sentimento de culpa, diminuição de apetite, isolamento, suicídio, entre outros.

O doutor Dráuzio Varela fala sobre o percentual da doença na infância e adolescência. “A depressão afeta 5% dos adolescentes e 1% das crianças. É difícil tratar essa doença sem os pais estarem cientes das causas e sintomas da enfermidade”, destacou.

As consequências da depressão, além da vivência na escola, também podem surgir por questões hormonais, genética, física ou causas externas em crianças e adolescentes. Entenda:




– Hormonal: Problemas ligados à glândula tireoide é um fator;

– Genética: A depressão pode surgir por hereditariedade (histórico familiar da doença);

– Causas externas: São fatos ocorridos na vida do indivíduo como a perda de um ente querido, notas baixas no colégio, estresse e etc.;

– Física: Infecção é um fator que leva à depressão.

Maria de Lurdes, pernambucana, 50 anos, relata: “É muito importante os pais observarem os filhos em tudo o que fazem, se estão se alimentando bem, se querem brincar ou preferem ficar no quarto isolados, pois eles não têm tanta noção sobre esta doença e suas consequências. A ajuda quem vai oferecer é o adulto ao perceber a doença”, comentou.

Caso a criança ou o adolescente desenvolva o quadro, os pais precisam urgentemente procurar ajuda de um profissional, como psicólogo ou psiquiatra dependendo do caso, que irão desenvolver tratamentos. 

Por Erika Amanda Silva de Souza






Postar Comentário